BlackBerry procura parceiros para relançar modelo Bold 9900

0
355

O presidente da empresa, John Chen, estima que uma nova versão do aparelho sairia por até US$ 199 e seria usado principalmente por quem procura um dispositivo seguro

Via: http://link.estadao.com.br/noticias/gadget,blackberry-procura-parceiros-para-relancar-modelo-bold-9900,70002270418

Saudades do seu celular BlackBerry? O presidente da empresa, John Chen, está procurando parceiros para relançar o aparelho com teclas mais famoso do mundo. Mas, calma, antes de sair guardando dinheiro, ainda não há confirmações que o celular será relançado.

Em entrevista ao site de tecnologia Recode, Chen disse que apesar da empresa estar mais focada em ajudar a empresas a proteger seus sistemas e criar tecnologia para carros inteligentes, ele desejaria muito relançar o modelo mais famoso de seus celulares, o BlackBerry Bold 9900.

“Há uma necessidade neste mundo de um telefone que seja muito simples e focado apenas em e-mails seguros, textos seguros e um navegador básico”, disse durante a entrevista ao afirmar que estava à disposição de futuros parceiros que topassem relançar o modelo retrô.

Os aparelhos celulares da marca entraram em declínio depois que fabricantes como Samsung e Apple lançaram smartphones com mais funcionalidades, eliminaram dos aparelhos os teclados físicos e aumentaram o tamanho da tela.

Para o executivo, essa concorrência não seria mais um problema para a nova versão do celular. Chen alega que o aparelho seria usado principalmente para quem quer segurança móvel.

“Profissionais como médicos, advogados, banqueiros de investimento e funcionários do governo, por exemplo, adorariam ter um celular seguro que não é muito chique, mas também não é muito caro”, completou ao estimar que o valor de compra do aparelho sairia em torno de US$ 150 a US$ 199.

Situação. Apesar de estar longe do mercado de smartphones há alguns anos, o BlackBerry continua figurando nos noticiários por conta de seus celulares.

A empresa processou, no começo do ano, o Facebook ao alegar que a empresa copiou a tecnologia por trás do BlackBerry Messenger para criar seus aplicativos WhatsApp e Instagram. À época a rede social disse que o processo mostrava o desespero do BlackBerry que tentava levantar recursos para a companhia.